quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O AMOR LIBERTA E SALVA


Meus amados, acompanhamos pelos jornais e TVs, a luta de filhos procurando seus pais biológicos e pais buscando  incansavelmente seus filhos desaparecidos.
Por vezes, os anos de espera terminam com a comovedora experiência do encontro, graças à ajuda dos meios de comunicação. Por outro lado ,a agonia da espera sem respostas continua sendo uma dolorosa realidade para muitos, que não desistem da procura e da espera do encontro.

A esperança é a força motivadora dos que esperam além das próprias forças e certezas
Existem um profundo mistério de vida na relação entre pais e filhos, filhos e pais.

É por isso que dói tanto a perda dos que amamos, muito mais quando não sabemos se estão vivos ou mortos.
Acredito que Deus Pai também sofre com o distanciamento de cada pessoa de sua amizade. Ele espera “ansioso” nossa volta, para nos acolher, nos vestir com as veste da graça, restituindo-nos as “sandálias “ da dígnidade e o anel da nossa realeza humana e divina. Deus Pai expressa esse extremo amor por nós na parábola do filho pródigo (Lc 15,11-32).
O que não conseguiríamos se esse esfôrço de encontro, de paixão pela vida, de buscar pelo ético, de compromisso com a cidadania, com a justiça, com a solidariedade e com a defesa da dígnidade da vida humana, particularmente dos mais fracos e esquecidos, se tornasse tema central nos meios de comunicação, diante do drama que divide as relações entre pessoas, classes, cores e religião ?
Sabemos que o sonho de Deus é que nenhum dos seus filhos se perca e que ninguém seja excluído do direito de participar do banquete da vida. A exclusão do direito a vida de alguém é pecado grave. Deus quer o respeito à vida,unido a partilha dos bens da criação, se torne a regra do amor entre irmãos.
É impossível ser bom cristãos sem essa consciência e opção pela defesa da vida.
O Apóstolo Paulo disse: “No amor somos sempre devedores uns dos outros “. Enquanto houver na terra uma só pessoa sofrendo necessidades no corpo e no espírito, a nossa missão de cristãos ainda não estará totalmente cumprida. Aqui encontramos a razão de ser de nossa opção de solidariedade e de ajuda em favor dos que mais sofrem em nossa pátria e pelo mundo afora. “ Quem diz amar a Deus a quem não vê, e não ama o irmão a quem vê, se engana. Recebemos de Deus este mandamento; Quem ama a Deus que ame também a seu irmão “ (1Jo 4,20s).

Meus amados, amem uns aos outros como eu vos tenho amado. Este é o exemplo que Jesus Cristo nos deixou.
Com carinho.Alvaléa palmeira
http:..//alvaleap.blogspot.com
Salvos por meio da esprança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário