quinta-feira, 30 de junho de 2011

A FÉ PELA REVELAÇÃO.




















Há três importantes escrituras no Antigo Testamento sobre as quais a Revelação Paulina se baseia. A primeira é Gênesis 15:6, “Abraão creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça”. Isto quer dizer que ele firmou um “compromisso irrestrito” com Jeová e Ele lhe imputou isso para justiça. Este “compromisso irrestrito” é idêntico ao pensamento de Romanos 10:9-11
, “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido”. A Fé pela Revelação como dada por Paulo exige uma confissão com nossos lábios do Senhorio de Jesus. Isto significa um “compromisso irrestrito” para com a Palavra, porque a Palavra assume o lugar do Cristo ausente. A segunda passagem da escritura, Isaías 28:16 (ARC), “Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse”. Há duas outras traduções: “Aquele que crer nEle não perambula distraidamente procurando outro fundamento”, ou, “Aquele que crê nEle não será envergonhado”. Diz que quem faz isso não será envergonhado. Não importam as circunstâncias, aparências, ou evidências dos sentidos, ele repousa seu caso completamente na Palavra. A terceira passagem é Habacuque 2:4, “O meu justo viverá pela fé”. Ela conduz a um passo à frente. “O meu justo” foi tornado justo por meio de uma Nova Criação. Ele deve andar, não por vista ou por sentimento, ele deve andar pela fé. Em outras palavras, ele deve andar pela Palavra. 2 Coríntios 5:7(ARC), “Porque andamos por fé e não por vista”. Hebreus 10:38, “O meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma”. Você nota em cada uma dessas passagens um desafio à sua confiança. Você é o Seu Justo. Você deve viver por fé. Não deve recuar para as evidências dos Sentidos e para o Conhecimento pelos Sentidos, mas deve prosseguir com Ele à luz da Palavra. Você fará como Abraão fez. Você está olhando para a Palavra e se torna forte através da fé, dando glória a Deus, pois reconhece que Deus é capaz de confirmar em você tudo o que Ele prometeu em Sua Palavra. Você pode ver como estas grandes passagens das Escrituras se tornam o fundamento da Revelação da Justiça pela fé na Palavra, como encontrado nas Epístolas Paulinas. Você descobrirá que no começo de seu grande argumento no livro de Romanos, Paulo usa a fé de Abraão como um tipo. Romanos 4:3-5, “Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça”. Justiça significa a capacidade de ficar na presença de Deus sem senso de pecado, culpa ou inferioridade. Você notará, depois que Deus atribuiu a Justiça a Abraão, que ele fez sua grande intercessão pela salvação de Sodoma e Gomorra. Leia cuidadosamente Gênesis 18 e observe a ousada fé de Abraão. Ele não era Justo da maneira como nós somos Justos. Sua Justiça era meramente atribuída a Ele. Ela foi colocada na Sua conta. Ela lhe deu crédito com Deus. A passagem que acabamos de ler de Romanos 4 nos diz que a Justiça não é atribuída com base nas obras. Esta Justiça é concedida com base na fé. Ninguém pode fazer obras para consegui-la. Ela é aceita como um dom. Efésios 2:8-9, “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”. A Salvação, a Redenção, a Vida Eterna, a Nova Criação, a presença residente do Espírito, o direito legal de usar o Nome de Jesus e todos nossos privilégios como filhos e filhas de Deus, estão baseados sobre a graça através da fé. Ninguém a consegue pelas obras. Ninguém detém uma posição melhor do que algum outro. Toda pessoa tem a mesma Justiça, os mesmos privilégios, a mesma posição, pois é tudo pela graça. A fé de Abraão descrita em Romanos é relatada em Romanos 4:18-21, “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações”. Esta é uma afirmação surpreendente. A fé lutou com a esperança, e a fé venceu. A Esperança é sempre futura. A Fé é sempre agora. A esperança teria privado Abraão de um filho, mas a fé lutou com a esperança, venceu-a e ele recebeu Isaque como recompensa. O versículo 19 diz, “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E, sem enfraquecer na fé, embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara, não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o que prometera”. Esta é uma ilustração muito bonita da fé. Abraão não tinha nada para se basear senão na Palavra de um anjo. Contudo ele creu nessa Palavra; ele olhou para seu próprio corpo e disse para si mesmo, “Estou com noventa e nove anos. Passei da idade em que poderia ser pai de uma criança”. Ele pensou em Sara que tinha noventa anos de idade. Ele sabia que ela era velha demais para dar a luz a uma criança. No entanto, se desviando da evidência dos Sentidos, ele olhou para a Palavra que Deus havia falado através do anjo e se fortaleceu através da fé, dando glória a Deus. Pois sabia sem dúvida ou medo que “Deus é capaz de confirmar o que prometeu”. Esta não é a Fé do Conhecimento pelos Sentidos. Esta é a Fé pela Revelação. Este é o tipo de fé que Paulo nos deu em sua Revelação. Note o versículo vinte e dois, “Pelo que isso lhe foi também imputado para Justiça. Ele não tinha a Justiça que temos. Ele tinha a Justiça colocada a seu crédito. Romanos 4:23-25, “E não somente por causa dele está escrito que lhe foi levado em conta, mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou porque estamos justificados perante Deus”. (grifado Trad. Lit.). A Revelação Paulina mostra que Deus realizou uma Redenção perfeita em Cristo. Colossenses 1: 13-14, “Ele nos libertou do império (autoridade) das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados”. Efésios 1:7, “No qual temos a redenção, pelo Seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da Sua graça”. Romanos 3:26, “Tendo em vista a manifestação da Sua justiça no tempo presente, para Ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”. Esta Redenção era uma redenção do domínio de Satanás. Era uma redenção da culpa e da penalidade do pecado. Era uma Redenção de nosso corpo físico do domínio da doença. Era uma Revelação da Nova Criação realizada em Cristo Jesus. Isso se torna uma realidade quando aceitamos Cristo como nosso Salvador e o confessamos como nosso Senhor. Deus deu ao homem natural Sua vida e natureza. 2 Coríntios 5:17-18, “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo”. Efésios 4:23-24, “E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”. Esta Revelação de uma Nova Criação consiste no fato mais surpreendente da graça de Deus. Deus pode tomar um homem governado por Satanás, alguém que é chamado de “pecado” (porque ele está identificado com Satanás, e é um filho dele), e Ele pode redimi-lo, tirá-lo desta condição e transmitir-lhe Sua própria natureza, tornando-o Seu próprio filho. 1 João 5:12-13 nos conta o que ele recebeu: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. João 6:47, “Quem crê em mim tem a Vida Eterna”. Um crente é um possuidor. Não há fé sem possessão. Se creio que Deus colocou meus pecados sobre Jesus e que Jesus foi meu Substituto, que Ele morreu em meu lugar, que Ele ressuscitou porque havia aniquilado meu pecado e obtido a Justificação para mim, no momento em que creio eu recebo a Vida Eterna e me torno um filho de Deus. Crer é ter. Em seguida Ele nos dá a Justiça. É uma Revelação da Justiça de Deus que fica disponível ao homem que tem fé em Jesus, (Romanos 3:21-26). Deus se torna a Justiça do homem que recebe Cristo como seu Salvador e O coroa como Senhor de sua vida. 2 Coríntios 5:21, “Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus”. Ele não somente se torna a nossa Justiça, mas também pela comunicação de Sua natureza nos tornamos Sua Justiça, Seus filhos e filhas. Hebreus 10:38, “O meu Justo viverá pela fé”. Somos chamados Seus justos. Não somente somos a Justiça de Deus, mas nos tornamos filhos e filhas de Deus. O apogeu da Revelação que Deus deu a Paulo, registrada em Romanos 8:14- 17 afirma isso claramente: “Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”. Esta é a filiação com todos os seus privilégios gloriosos. Paulo não para aí. Estes filhos e filhas são participantes não somente da natureza de Deus, mas do próprio Deus na pessoa do Espírito Santo. Romanos 8:11, “Se habita em vós o Espírito dAquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, Esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do Seu Espírito, que em vós habita”. 1 Coríntios 6:19, “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós?” Isso tudo vem ao crente pela fé. Não é necessária nenhuma fé do Conhecimento pelos Sentidos. Você não precisa ter nenhum sentimento para provar que Nasceu de Novo. Tudo o que é necessário é a Palavra de Deus. Romanos 10:9 declara: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. Você não precisa da evidência do Conhecimento pelos Sentidos para provar que recebeu o Espírito Santo. Lucas 11:13, “Quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Sua confiança não está em nenhuma manifestação ou evidência física. Está sempre na simples Palavra de Deus. Lucas 1:37, “Nenhuma Palavra de Deus está desprovida de poder” (ou da capacidade de se cumprir). Estas poderosas Escrituras fornecem uma base para a Fé. Temos confiança quando sabemos o que somos em Cristo. A incredulidade é em grande medida o resultado da ignorância do que somos em Cristo. Quando vi o que Deus havia feito por mim em Cristo, todo meu ser ficou emocionado, a fé se tornou um fato inconsciente, ela era minha. Ele fez isso por mim, e eu disse, “Obrigado, Pai”, e então comecei a desfrutar de meus direitos em Cristo.

Com carinho.

http://Alvaleap.blogspot.com

Um comentário:

  1. Paz,,, Deus abençoe assim como nosso pai Abrãao vivemos pela razão da fé ... Deus continue te abençoando e te usando.. Se puder visite http://almirdionisio.blogspot.com e tem tambem o blog da secre de missões de minha igreja,, http://semasf.blogspot.com desde já agradeço ...

    ResponderExcluir